Início / História / Século XIX na Itália, Alemanha e EUA Exercícios de História

Século XIX na Itália, Alemanha e EUA Exercícios de História

Lista de exercícios da História Mundial sobre o Século XIX na Itália, Alemanha e EUA, para estudantes e professores do ensino fundamental, médio e superior.

1 – Século XIX na Itália, Alemanha e EUA: O mundo europeu escandalizou-se com a rebelião dos Boxers (1900) e se surpreendeu, depois, com suas consequências, as quais, de certo modo, antecipavam os movimentos nacionalistas que iriam revolucionar a China no século XX. As relações entre os europeus e o governo imperial chinês, no entanto, contribuíram para alimentar reações e ressentimentos populares contra:
I. Os privilégios comerciais concedidos aos comerciantes estrangeiros;
II. Os navios a vapor, as estradas de ferro e os telégrafos;
III. Os missionários europeus que desfrutavam do direito de residência e de pregação;
IV. A luta de boxe, patrocinada diariamente pelos membros das comunidades diplomáticas estabelecidas em Pequim;
V. a intervenção dos missionários estrangeiros na administração dos governos.


Consideradas as proposições anteriores, assinale:
a) se apenas a proposição IV estiver correta;
b) se todas estiverem corretas;
c) se apenas as proposições I, II, III e V estiverem corretas;
d) se apenas as proposições I e V estiverem incorretas;
e) se apenas as proposições II e III estiverem incorretas.

 


2 – Ata Geral da Conferência de Berlim, em 26 de fevereiro de 1885:
“Capítulo I: Declaração referente à liberdade de comércio na Bacia do Congo…
Artigo 6° – Todas as Potências que exercem direitos de soberania ou uma influência nos referidos territórios comprometem-se a velar pela conservação dos aborígines e pela melhoria de suas condições morais e materiais de existência e a cooperar na supressão da escravatura e principalmente do tráfico de negros; elas protegerão e favorecerão, sem distinção de nacionalidade ou de culto, todas as instituições e empresas religiosas, científicas ou de caridade, criadas e organizadas para esses fins ou que tendam a instruir os indígenas e a lhes fazer compreender e apreciar as vantagens da Civilização. ”
Pela leitura do texto acima, podemos deduzir que ele:
a) demonstra que os interesses capitalistas voltados para investimentos financeiros eram a tônica do tratado;
b) caracteriza a atração exercida pela abundância de recursos minerais, notadamente na região subsaariana;

c) explicita as intenções de natureza religiosa do imperialismo, através da proteção à ação dos missionários;
d) revela a própria ideologia do colonialismo europeu ao se referir às “vantagens da Civilização”;
e) reflete a preocupação das potências capitalistas em manter a escravidão negra.

 


3 – Século XIX na Itália, Alemanha e EUA: A expansão neocolonialista do século XIX foi acelerada, essencialmente:
a) pela disputa de mercados consumidores para produtos industrializados e de investimentos de capitais para novos projetos, além da busca de matérias-primas;
b) pelo crescimento incontrolado da população europeia, gerando a necessidade de migração para África e Ásia;
c) pela necessidade de irradiar a superioridade da cultura europeia pelo mundo;
d) pelo desenvolvimento do capitalismo comercial e das práticas do mercantilismo;
e) pela distribuição igualitária dos monopólios de capitais e pelo decréscimo da produção industrial.

 


4 – Ao final do século passado, a dominação e a espoliação assumiram características novas nas áreas partilhadas e neocolonizadas. A crença no progresso, o darwinismo social e a pretensa superioridade do homem branco marcaram o auge da hegemonia europeia. Assinale a alternativa que encerra, no plano ideológico, certo esforço para justificar interesses imperialistas:
a) A humilhação sofrida pela China, durante um século e meio, era algo inimaginável para os ocidentais.
b) A civilização deve ser imposta aos países e raças onde ela não pode nascer espontaneamente.
c) A invasão de tecidos de algodão do Lancashire desferiu sério golpe no artesanato indiano.
d) A diplomacia do canhão e do fuzil, a ação dos missionários e dos viajantes naturalistas contribuíram para quebrar a resistência cultural das populações africanas, asiáticas e latino-americanas.
e) O mapa das comunicações nos ensina: as estradas de ferro colocavam os portos das áreas colonizadas em contato com o mundo exterior.

 


5 – Século XIX na Itália, Alemanha e EUA: No final da chamada “era napoleônica”, derrotado o imperador francês em 1815, tornou-se possível a recomposição das forças sociais e políticas ligadas ao Antigo Regime, em boa parte do continente europeu. Nada disso deteve, porém, a onda revolucionária e o surgimento de revoltas, a partir de 1820 até 1848. Na Itália, por exemplo, coube a uma sociedade secreta a elaboração de um programa político “contra as tiranias”, cuja grande meta era a unificação da nação italiana e o triunfo dos princípios liberais.
Assinale a opção que identifica corretamente os revolucionários acima mencionados:
(A) Pedreiros-livres
(B) Cristãos-novos
(C) Maçons

(D) Carbonários
(E) Jacobinos

 

Independência da América Espanhola Exercícios.


6 – Século XIX na Itália, Alemanha e EUA: À época de Bismarck (1871-1890) associam-se alguns elementos que vieram a reforçar o capitalismo industrial e financeiro na Alemanha recém-unificada.
Assinale a opção que contém referências vinculadas ao momento político mencionado.
(A) Vitória dos cristãos-sociais mais moderados ao impor reformas do sistema de trabalho na década de 1880, greve dos mineiros do Ruhr, emigração maciça para o continente americano, imposição do livre comércio de importação e exportação em 1879.
(B) lverein ou união aduaneira alemã, abolição do regime político federal no Império Alemão, diminuição da influência dos Junkers prussianos, dissolução da Aliança do Centeio e do Aço.
(C) Unificação monetária alemã e fundação do Reichsbank, extensão das ferrovias, desaparecimento de numerosas peque-as empresas após a crise financeira de 1873, imposição do protecionismo alfandegário em 1879.
(D) Financiamento de seguros sociais pelo Reichsbank para aliviar tensões, condução a um período de paz social através da unidade alemã, privatização das ferrovias, entrada da Alemanha na corrida colonial ao anexar a Etiópia.
(E) Sacrifício da agricultura à indústria, reforço da posição dos industriais determinado pelo “novo curso” ligado ao chanceler Caprivi, formação, no Reichstag, da maioria chamada “do Cartel”, favorável ao grande capitalismo e a medidas anti-sindicais em 1879.

 


7 – Século XIX na Itália, Alemanha e EUA: Na base do processo das unificações italiana e alemã, que alteraram o quadro político da Europa no século XIX, estavam os movimentos
a) sociais, acentuadamente comunistas.
b) liberais, acentuadamente nacionalistas.
c) iluministas, acentuadamente burgueses.
d) reformistas, acentuadamente religiosos.
e) renascentistas, acentuadamente mercantis.

 


8 – O dia 12 de setembro de 1990 marcou o fim da Segunda Guerra Mundial: a Alemanha, vencida há quarenta e cinco anos, dividida e colocada sob a tutela de seus vencedores, encontrou através de sua unificação a sua soberania plena e completa. A última unidade alemã tinha sido proclamada em 1871, na galeria dos espelhos do palácio de Versalhes, depois de uma guerra vitoriosa contra a França.
(“Adaptado de Le Monde”, 13/09/90)


As conjunturas históricas indicadas no texto acima representam aspectos diferenciados. Os dois momentos de unificação, no entanto, transformaram a Alemanha em:
a) um Estado unitário, com uma representação classista de deputados
.

b) uma potência central, com um papel decisivo no equilíbrio de poder europeu.
c) uma república federal, com um regime parlamentar e uma constituição liberal.
d) uma nação democrática, com suas instituições liberais ampliadas do oeste para o leste.

 


9 – Século XIX na Itália, Alemanha e EUA: No processo de unificação da Itália de meados do século XIX, destacam-se, EXCETO:
a) a preocupação da burguesia em evitar qualquer aliança com a massa camponesa.
b) a permanência de um sistema oligárquico que garante os interesses dos grandes proprietários da terra.
c) a ação dos liberais moderados, liderado por Cavour, para impedir as tentativas revolucionárias.
d) a obtenção da unidade através do alargamento do Estado piemontês e não de um movimento nacional.
e) o papel decisivo dos movimentos populares para a concretização da unidade italiana.

 

 

Gabarito com as respostas de História Mundial sobre o Século XIX na Itália, Alemanha e EUA:

1. C
2. D
3. A
4. B
5. D
6. C
7. B
8. B
9. E

Veja também:

Lista de exercícios com gabarito sobre a História do Brasil da República Velha à Era Vargas para quem irá prestar Vestibular, Enem e Concurso Público.

Exercícios Sobre a História do Brasil da República Velha à Era Vargas

Lista de exercícios com gabarito sobre a História do Brasil da República Velha à Era …

Lista de exercícios da História Mundial sobre o Inicio do Século XX para quem irá prestar Concurso Público, Enem e Vestibular.

Exercícios Sobre a História do Inicio do Século XX

Lista de exercícios da História Mundial sobre o Inicio do Século XX para quem irá …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *