Início / História / Atividades sobre a Roma Antiga: da Monarquia ao Império

Atividades sobre a Roma Antiga: da Monarquia ao Império

1) Roma Antiga: da Monarquia ao Império: (UFPR/2014) Sobre a religião da Roma Antiga, considere as afirmativas abaixo:

1. Os Jogos Olímpicos eram a principal cerimônia pública de adoração aos deuses, com a consagração de atletas de diversas partes do domínio romano, representando as mais diferentes divindades dos territórios conquistados.

2. Roma Antiga era politeísta, com deuses antropomórficos incorporados de povos conquistados, especialmente dos gregos. A expansão do domínio romano promoveu a coexistência dessa religião com religiões locais que não conflitassem com os rituais romanos.

3. Havia dois tipos de cultos: os promovidos pelo Estado romano, que dedicava rituais, festivais e templos aos grandes deuses, e o culto doméstico, voltado para antepassados e espíritos domésticos (denominados Lares).

4. O fim da pax romana ocorreu com a expansão do cristianismo, que substituiu o culto doméstico romano pelo monoteísmo, promovendo contestação do poder do Imperador entre os cidadãos romanos.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.

b) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.

e) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras.

 

 

2) Roma Antiga: da Monarquia ao Império: (UFPE/2013) O contributo das culturas grega e romana da Antiguidade às sociedades ocidentais ainda é bem perceptível na contemporaneidade. A esse respeito, analise as proposições a seguir.

( ) O teatro romano ainda hoje é referência nas artes cênicas, pela profundeza com que eram abordados os temas nas peças encenadas.

( ) Uma grande contribuição romana à arquitetura foi a técnica de construção de cúpulas em tijolo e pedra.

( ) As formas de fazer as leis, sua interpretação e as ideias jurídicas fazem parte da herança romana ao Direito, no Ocidente.

( ) As flosofas romana e grega ainda oferecem pontos de reflexão para o homem ocidental, dada a sua profundidade e originalidade.

( ) O latim foi um elemento importante na dominação dos povos conquistados pelos romanos, sendo a base de línguas europeias da atualidade.

 

 

3) (UFPR/2013) Considere as seguintes afirmativas que comparam o sistema republicano da Roma Antiga com o sistema republicano brasileiro atual:

1. Uma das principais diferenças entre o sistema republicano moderno e o sistema republicano romano antigo refere-se à incorporação feita pelo sistema atual da divisão de poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário), defendida por pensadores iluministas para conter regimes absolutistas.

2. O sistema republicano romano antigo constituiu uma representatividade ampla e igualitária para patrícios e plebeus, cujo modelo foi adotado pelos sistemas republicanos modernos, que inspiraram o modelo brasileiro.

3. O Senado vigente na república romana antiga era composto por membros vitalícios, que exerceram grande poder legislativo e executivo, e representou os interesses de uma parcela da população (os patrícios), enquanto o Senado brasileiro atual pertence ao poder legislativo, sendo eleito por sufrágio universal direto para mandatos de tempo limitado.

4. Em ambos os casos, a república foi instituída para substituir uma monarquia e inicialmente conferiu poder a uma restrita parcela da população, em sua maioria proprietária de terras, deixando boa parte da  população sem acesso direto à representatividade no poder.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente a afirmativa 2 é verdadeira.

b) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras.

e) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 são verdadeiras.

 

 

4) Roma Antiga: da Monarquia ao Império: (Enem/2013) Durante a realeza, e nos primeiros anos republicanos, as leis eram transmitidas oralmente de uma geração para outra. A ausência de uma legislação escrita permitia aos patrícios manipular a justiça conforme seus interesses. Em 451 a.C., porém, os plebeus conseguiram eleger uma comissão de dez pessoas – os decênviros – para escrever as leis. Dois deles viajaram a Atenas, na Grécia, para estudar a legislação de Sólon.

COULANGES, F. A cidade antiga. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

A superação da tradição jurídica oral no mundo antigo, descrita no texto, esteve relacionada à:

a) adoção do sufrágio universal masculino.

b) extensão da cidadania aos homens livres.

c) afirmação de instituições democráticas.

d) implantação de direitos sociais.

e) tripartição dos poderes políticos.

 

 

5) Roma Antiga: da Monarquia ao Império: (UFRGS/2013) No bloco superior abaixo, são listados alguns líderes que atuaram no período republicano da Antiga Roma; no inferior, são atadas ações desses líderes. Associe corretamente o bloco inferior ao superior.

1. Otávio

2. Caio Mário

3. Tibério Graco

4. Pompeu

( ) Operou uma reforma militar que permitiu o recrutamento de soldados entre a população mais pobre de Roma.

( ) Acumulou uma série de títulos e cargos e acabou por estabelecer em Roma o sistema político imperial.

( ) Tentou implementar uma reforma que permitisse a distribuição de terras públicas entre os cidadãos mais pobres de Roma.

A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é

a) 2 – 1 – 4.

b) 1 – 2 – 4.

c) 2 – 1 – 3.

d) 1 – 2 – 3.

e) 3 – 4 – 2.

 

A Crise do Antigo Sistema Colonial Exercícios Respondidos.

 

6) Roma Antiga: da Monarquia ao Império: (ESPM/2012) Na República Romana, o poder executivo, que antes pertencia ao rei, passou a ser exercido por supremos magistrados eleitos anualmente pela Assembleia por centúrias, com atribuições administrativas e, sobretudo militares. (Aquino, Denise, Oscar. História das Sociedades: das comunidades primitivas às sociedades medievais) O enunciado se refere aos:

a) pretores.

b) questores.

c) cônsules.

d) pontífices.

e) censores.

 

 

7) Roma Antiga: da Monarquia ao Império: (Unicamp-SP/2010) “Os impérios desenvolveram diferentes estratégias de inclusão. O império romano permitia a multiplicidade de crenças, desde que a lealdade política estivesse assegurada. Espanha e Portugal, entretanto, apesar de terem incorporado povos de línguas e culturas diversas sob seus governos, impuseram uma uniformidade legal e religiosa, praticando políticas de intolerância religiosa como caminho preferencial para assegurar a submissão e a lealdade de seus súditos”.

(Adaptado de Stuart B. Schwartz, Impérios intolerantes: unidade religiosa e perigo da tolerância nos impérios ibéricos da época moderna, em R. Vainfas & Rodrigo B. Monteiro (orgs.), Império de várias faces. São Paulo: Alameda, 2009, p. 26.)

a) A partir do texto, diferencie o império Romano dos impérios ibéricos modernos.

b) Quais as políticas praticadas pelas monarquias ibéricas na Era Moderna que caracterizam a intolerância religiosa?

 

 

8) (UFPR/2011) O trecho abaixo foi escrito por Suetônio, biógrafo dos primeiros imperadores romanos, nascido no final do século I d.C. Trata-se do registro de algumas reformas feitas por Júlio César, logo após este ter assumido o poder. A partir da leitura do texto, analise as principais mudanças na vida dos romanos no contexto do final da República e início do Império romano.

“Distribuiu oitenta mil cidadãos em colônias transmarinas. Para garantir que a cidade de Roma não ficasse despovoada, proibiu a todo cidadão de mais de vinte e menos de sessenta anos, à exceção dos que servissem no exército, ficar mais de três anos fora da Itália. Proibiu os filhos de senadores de se ausentarem a não ser que estivessem acompanhados de um comandante militar ou magistrado. Obrigou que os pastores tivessem, ao menos, um terço dos criadores púberes livres de nascimento. Aos médicos e profissionais liberais atuantes em Roma conferiu a cidadania, a fim de fixá-los aí e atrair outros profissionais”.

(Suetônio, A vida dos doze césares, Vida de Júlio César, 42.)

 

 

9) Roma Antiga: da Monarquia ao Império: (UFPE/2012) A história das crenças religiosas revela seus significados para as culturas do mundo antigo e do mundo atual. Na Roma Antiga, o advento do Cristianismo:

( ) favoreceu os defensores dos governos republicanos, quebrando tradições e melhorando a vida, de imediato, dos grupos que viviam na pobreza.

( ) não afetou a ordem sociopolítica, pois defendia valores que já eram aceitos por todos, desde os tempos da monarquia.

( ) trouxe propostas de mudanças sociais que alteraram valores culturais e condenaram a condição de escravo.

( ) deu continuidade ao poder da religião oficial dos romanos, preservando os princípios politeístas dominantes.

( ) conseguiu abalar costumes e relações sociais, com ideais que objetivavam a adesão dos menos favorecidos.

 

 

10) Roma Antiga: da Monarquia ao Império: (Unicamp-SP/2009) Após a tomada e o saque de Roma pelos visigodos, em 410, pagãos e cristãos interrogaram-se sobre as causas do acontecimento. Para os pagãos, a resposta era clara: foram os maus princípios cristãos, o abandono da religião de Roma, que provocaram o desastre e o declínio que se lhe seguiram. Do lado cristão, a queda de Roma era explicada pela comparação entre os bárbaros virtuosos e os romanos decadentes: dissolutos, preguiçosos, sendo a luxúria a origem de todos os seus pecados.

(Adaptado de Jacques Le Goff, “Decadência”, em História e Memória. Campinas, Ed. da Unicamp, 1990, p. 382-385.)

a) Identifique no texto duas visões opostas sobre a queda de Roma.

b) Entre o surgimento do cristianismo e a queda de Roma, que mudanças ocorreram na relação do Império Romano com a religião cristã?

 

🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.

 

Gabarito com as respostas do simulado com atividades sobre a Roma Antiga: da Monarquia ao Império:

1) d;

2) F – V – V – F – V.

3) b;

4) b;

5) c; 6) c;

 

7) a) Os romanos assimilaram as culturas dos povos submetidos, como a grega e a egípcia, porque estas não ameaçavam a integridade do Estado. No entanto o mesmo não ocorreu nos Impérios Ibéricos, cujo Estado originara-se na Reconquista, cuja base primordial assentava-se no catolicismo.

b) Tanto a conquista como a colonização ibérica contaram com a participação da Igreja. Por meio da catequese, da inquisição e das escolas as ordens religiosas, especialmente a Companhia de Jesus, exerciam dominação nas colônias.

 

8) O texto refere-se o temor de despovoamento de Roma, na medida em que a exploração das áreas colonizadas tornava-se atraente para diversos romanos das mais diversas profissões. O controle sobre vastas áreas na África e Europa e a disponibilidade de mão de obra escrava determinou o deslocamento de milhares de indivíduos, dada a ideia de maior possibilidade de enriquecimento.

 

9) F – F – V – F – V

 

 

10)

a) O texto menciona duas visões opostas sobre a queda de Roma: para os pagãos, ela teria sido causada pelo abandono da religião romana, em virtude da disseminação dos maus princípios cristãos; para os cristãos, a causa se encontraria nos costumes dos romanos, que eram dissolutos, preguiçosos e luxuriosos.

b) Poderiam ser apontados três diferentes momentos na relação entre o Império Romano e a religião cristã: no início temos, um período em que os cristãos eram perseguidos; após o Edito de Milão (313), o Império concede liberdade de culto; finalmente, com o Edito de Tessalônica (391), o cristianismo torna-se religião oifcial do Império.

Veja também:

atividades e exercícios sobre A Germanização de Roma com gabarito para enem e vestibular

A Idade Média Europeia: A Germanização de Roma Questões

1) A Germanização de Roma: (UFPR/2011) Entre os séculos V e VI, as monarquias romano-germânicas …

questões e perguntas sobre Os Reinos Bárbaros e Francos de história com gabarito

A Idade Média Europeia: Exercícios sobre Os Reinos Bárbaros e Francos

1) Os Reinos Bárbaros e Francos: (UPF/2012) O Medievo tem como marco inicial a migração …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *